Trilhas de Conhecimentos - O Ensino Superior de Indígenas no Brasil

Projeto
Público Alvo
Expediente

Artigos
Dissertações e Teses
Referências Bibliográficas
Livros

Entrevistas

Núcleo Roraima
Núcleo Mato Grosso do Sul

Galeria Multimídia

Ações Governamentais
Educação Superior Indígena


Links
Newsletter

Fale Conosco
Mapa do Site


 
     

Núcleo Roraima / Área e População



Área e População

O estado possui uma área total absoluta de 224.118,03 Km2, equivalente a pouco mais que 2,5% do território nacional, com uma população total, segundo o Censo Demográfico de 2000 de 324.397 habitantes, possuindo assim, a mais baixa densidade demográfica do país: 1,45 Hab./Km2. No entanto, desde a criação do estado em 1943, sua população teve um incremento de mais de vinte vezes o número inicial.

População de Roraima: 1944-2000

Ano
População Residente
1944
13.500
1950
18.116
1960
28.304
1970
40.885
1980
79.159
1991
217.583
2000
324.152

Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Departamento de População e Indicadores Sociais, Censo Demográfico. Anuário estatístico do Brasil 1995; Sinopse preliminar do censo demográfico de 2000. Rio de Janeiro: IBGE, v. 7, 2001.

A população do estado é também predominantemente urbana: do total da população em 2000, 247.016 é urbana e 77.381 rural. A maior parte da população está concentrada no município da capital, com 200.558 habitantes, totalizando 61,82% da população do estado, também segundo o último censo demográfico de 2000. O segundo município mais populoso do estado, Alto Alegre, possuía, na mesma data, 17.907 habitantes. Em 2004, Boa Vista teve como população estimada pelo IBGE em 236.319 habitantes. Entre 1991 e 2000 a população de Roraima passou de 217.583 habitantes para 324.397, configurando uma taxa média de crescimento anual na ordem de 4,72%. No mesmo período, a taxa de urbanização passou de 64,72% para 76,15%, indicando um crescimento do nível de urbanização do estado.



Há também no estado uma ligeira predominância numérica de homens sobre as mulheres: 166.037 são homens e 158.360 mulheres. Quanto à cor, no mesmo censo, 61,5% declararam-se pardos, 24,8% brancos e apenas 4,2% se dizem pretos. Desse total, o estado possui também o maior índice do país de pessoas que se declaram amarelos ou indígenas: 8,8%.

A taxa de analfabetismo da população é de 12%, abaixo da média nacional de 13,6 % registrada pelo IBGE. A mortalidade infantil, embora decrescendo, permanece alta: 36,6 crianças morrem antes de completar um ano de vida para cada grupo de mil nascidos vivos, índice bem mais elevado que a média nacional de 29,6 mortes. Já a expectativa de vida ao nascer passou de 62,7 para 66,5 anos, ainda abaixo da média nacional de 70,5 em 2000. No mesmo período, o número de filhos por mulher também diminuiu, de 4,0 para 3,2, mas continuando muito acima da média nacional de 2,2 filhos por mulher em 2000. 79,2 % da população conta com acesso à água e 62,9% tem acesso à rede de esgoto.

O Índice de Desenvolvimento Humano – IDH – de Roraima em 2000 era de 0,746, o que o coloca numa situação considerada de médio desenvolvimento humano, segundo a classificação do PNUD (IDH entre 0,5 e 0,8). Em relação aos demais estados do país, Roraima está também numa situação intermediária, ocupando a 13º posição no Brasil.

Sobre a infra-estrutura do estado, o município de Boa Vista concentra os melhores indicadores. Em 2000 o estado possuía 76.227 matrículas no ensino fundamental (97,2 % na rede pública) e 19.275 matrículas no ensino médio (98,3% na rede pública). No ensino superior em 2000 havia 4.006 matrículas, todas em estabelecimento público em Boa Vista, a Universidade Federal de Roraima, implantada em 1989. A partir de 2001 foram também criados uma série cursos superiores em faculdades particulares em Boa Vista, aumentando consideravelmente a oferta de vagas.

Como é possível identificar nos mapas, quanto ao número de escolas de ensino fundamental, destacam-se também os dois outros municípios mais populosos, Rorainópolis e Alto Alegre. No entanto, quanto ao número de alunos matriculados na mesma faixa de ensino, este último apresenta números menores e perde posição para o município de Caracaraí. Também no ensino fundamental há diferença entre municípios com maior número de estabelecimentos e de matriculados. Embora extramente concentradas no município da capital, os municípios que também apresentam maior número de estabelecimentos em relação aos outros são os de Cantá e Alto Alegre. Já quanto ao número de matriculados, após a capital, destacam-se os municípios de Rorainópolis e Pacaraima. Quanto à saúde, também bastante concentrada na capital, é seguida pelos municípios de Alto Alegre e Caracaraí em estabelecimentos de saúde, e em número de leitos pelos municípios de Pacaraima e Alto Alegre.












O projeto Trilhas de Conhecimentos foi encerrado em Outubro de 2009
© 2007 Todos os direitos reservados.Este material não pode serreescrito ou redistribuído sem prévia autorização.